➡️ Marcha a ré

Leitura: Êxodo 13.17-22

“Se eles se defrontarem com a guerra, talvez se arrependam e voltem para o Egito” (Êx 13.17).

Moisés tirou o povo do Egito e a viagem apenas começava. A expectativa era grande. Depois de 400 anos de cativeiro, uma verdadeira queda-de-braço com o Faraó, e o povo estava livre rumo à Terra Prometida. Deus cumprira sua promessa de libertação. Quando saíram, não os guiou pelo caminho mais curto passando pela terra dos filisteus. Deram a volta pelo deserto seguindo o caminho que leva ao Mar Vermelho. Deus disse “Se eles se defrontarem com a guerra, talvez se arrependam e voltem para o Egito” (13.17). Os filisteus, povo guerreiro e forte, representavam uma ameaça aos hebreus.

Deus sabe que desejamos Suas bênçãos, mas nem sempre estamos dispostos a arcar com as consequências de Sua companhia. Somos capazes de “sentir saudades do Egito” do que enfrentar as dificuldades, desejando voltar à nossa vida velha do que seguir em frente para a Terra Prometida. Andar com Deus implica em enfrentar inimigos à nossa frente, transpor desafios, vencer barreiras. Quantos não sofrem por causa de Cristo? Quem sabe, a esposa que lida com seu marido não-cristão; profissionais preteridos em suas atividades por recusarem participar de negócios ilícitos; jovens que recusam andar de acordo com a filosofia do mundo e são ridicularizados por isto?

Desistir da fé é a pior decisão. Quem anda com Deus não pode pensar em desistir. Jesus disse “Ninguém que põe a mão no arado e olha para trás é apto para o Reino de Deus” (Lc 9.62). A ordem é seguir em frente. Confiar em Deus e olhar para a frente. Afinal, a Terra Prometida está na frente e não atrás.

As dificuldades na vida cristã são exercícios de fortalecimento espiritual.

➡️ Problemas

LEITURA: Daniel 5.1-30

“Como é feliz…” (Sl 1).

Como anda seu peso? Tentando emagrecer como “todo mundo”? Tentando ganhar peso sem conseguir? Isso é mais raro, e pode ser sinal de doença. Parece que esse foi o caso do rei Belsazar: era leve demais e se deu mal. Como? Antigamente o dinheiro valia seu peso em ouro ou prata, e Deus deu entender ao rei que ele era como uma moeda falsa que, ao ser pesada, não valia nada. Às vezes coisas leves são levadas pelo vento.

No beneficiamento de cereais: descascam-se os grãos de trigo e depois joga-se a mistura de grãos e cascas numa corrente de ar. O vento arrasta as cascas, e os grãos, mais pesados (e valiosos), são retidos. O Salmo 1 fala que “o ímpio” é como a palha que o vento leva. A Bíblia chama de ímpio a pessoa que não se importa com Deus, caso do rei Belsazar. Quando Deus não comanda nossa vida, ela perde a substância, fica leve como palha e se perde por aí. Deus fala conosco por meio do Espírito Santo, que a Bíblia também compara com o vento.

Quando esse vento sopra em nós, quer soprar para longe tudo o que não presta, e deixar só o que tem valor para Deus. A tragédia de Belsazar foi ser tão vazio que foi soprado junto, de modo que não sobrou nada. E então? Como anda o seu peso? Se você perceber que precisa ganhar peso espiritual para ter valor, aqui vai um bom cardápio: “Quando as tuas palavras foram encontradas, eu as comi; elas são a minha alegria e o meu júbilo, pois pertenço a ti, Senhor Deus dos Exércitos” (Jr 15.16).

A bolha de sabão é bonita, brilhante, leve e… vazia.

➡️ Segredo de Guerra

Leitura: Gênesis 39.1-10

“…ele se recusava a deitar-se com ela e evitava ficar perto dela” (Gn 39.10).

Como vencer as tentações? Preocupação importante de quem tem compromisso com Deus. As tentações são armadilhas espirituais de Satanás para derrubar os filhos de Deus. Seu interesse é que, como cristãos, tropecemos e interrompamos a comunhão com Deus. José, foi um homem de Deus que passou por terrível tentação. Era filho de Jacó e Raquel. De forma aterradora José foi parar no Egito, vendido como escravo a um grupo de ismaelitas pelos próprios irmãos. Mais tarde, foi comprado por Potifar, um egípcio importante, oficial do rei. José te-ria todas as razões do mundo para ser revoltado com Deus.

Longe da família, fora vendido duas vezes, como uma mercadoria e ainda teve que assumir responsabilidades de peso diante de Potifar. Todavia, José se mantinha fiel ao Senhor. A esposa de Potifar era bonita e, pelo jeito, gostava de provocar José, insinuando-se a ele. Tentação como assédio sexual. Mas, isso seria pecado contra Deus, além de representar quebra de confiança. Então, José resistiu.

Como fez isto? Orou para a tentação ir embora? Cantou um hino para ocupar sua mente? Não! Primeiro, recusou-se a deitar com ela. Isto é “decisão”. Depois, José evitava ficar perto dela. Isto é “ação”. Estas atitudes levaram José vencer a tentação e ser vitorioso na vida. Assim nós também, podemos vencer a tentação, pronunciando a palavra-chave “não”. A outra atitude é evitar o local onde a tentação se materializa. Evite desafiar a si mesmo, frequentando os locais onde o perigo é maior.

Hoje, Cristo nos oferece Sua força para nos ajudar a vencer. A vitória conquistada a cada dia, nos fortalecerá na fé.

As guerras são vencidas ganhando-se um combate de cada vez.

Sonda-me, oh Deus – Oração para dormir tranquilo

LEITURA: 1 Samuel 13.1-15

“O que você fez?” (1 Sm 13.11).

Todos os dias decidimos — motivados pela nossa vontade, da família, dos amigos ou questão profissional. Mas, o que dizer quando Deus declara a vontade dele? “Obedecer”, é a resposta. Mas, nem sempre isto acontece. Por quê?

Um caso do rei Saul é parte da resposta. Ele havia sido ungido rei de Israel. Samuel, o “porta-voz” de Deus (profeta) instruía Saul, dizendo tudo o que deveria fazer. Uma dessas instruções, dizia respeito aos filisteus, inimigos de Israel. Samuel orientou que Saul fosse até Gilgal e esperasse sete dias por ele, para, juntos naquele local, adorar ao Senhor (1 Sm 10.8).

Então, Saul mandou Jônatas atacar os destacamentos dos filisteus em Gibeá e foi para Gilgal, encontrar-se com Samuel. Os filisteus reuniram um enorme exército para guerrear contra Israel. Saul chegou em Gilgal e viu a força inimiga. Ficou aterrorizado. Cumprido os sete dias, sem que Samuel chegasse, Saul ordenou que um sacrifício fosse oferecido ao Senhor. Quando terminou, Samuel chegou e sua pergunta foi fatal: “O que você fez?” Saul explicou que foi o medo que caiu sobre ele e seus soldados. Por causa desta falta de confiança em Deus, Saul perdeu seu reinado.

O medo pode nos levar a desobedecer a Deus — medo do que está à nossa volta, do que poderá acontecer; das probabilidades de perda. Outro elemento que trabalhou contra Saul foi o prazo. Saul confiou no prazo de sete dias, não na Palavra de Deus. Quando o prazo acabou, o medo desencadeou a precipitação.

Nada pode substituir nossa confiança em Deus. Deve ser’reforçada, continuamente. Confiando em Deus, pela fé, podemos obedecê-Lo e nos livrarmos de decisões precipitadas.

A melhor decisão é baseada na Palavra de Deus.

Veja o louvor abaixo e medite no que acabou de ler.

 

Andar Faz Bem!

Leitura: Filipenses 3.12-21

‘Tão-somente vivamos de acordo com o que já alcançamos” (Fp 3.16).

Qual é a vontade de Deus para minha vida? Muitos perguntam sobre a vontade de Deus. Como conhecê-la? Há livros tratando detalhadamente disto. Alguns, buscam conselhos, pedem orações, e matriculam-se em todos os cursos bíblicos possíveis. Isto é bom!

Um princípio bíblico sobre a vontade de Deus pode ser resumido na palavra “coerência”.

Paulo aconselhou aos cristãos de Filipos que considerassem isto. Primeiro, Paulo usa a expressão “todos nós que alcançamos a maturidade” (Fp 3.15) colocando-se no mesmo nível daqueles irmãos. Sim, é possível alcançar a maturidade espiritual, o devido fortalecimento da fé, o discernimento espiritual, a capacidade de resistir as ciladas do inimigo. Olhar sempre para a frente, sem viver de bênçãos passadas, é atitude de pessoas maduras (3.14).

Em seguida, Paulo apresenta o quanto devemos ser “coerentes”, vivendo de acordo com o já alcançado. Cada um deve praticar o que aprendeu com o Senhor. Nada mais, nada menos. Não faz sentido aplicar algo em nossa vida, somente porque vimos na vida do outro. Nem todos têm o mesmo grau de entendimento, embora todos possam ser maduros.

A vontade de Deus é — cada um, viva a vida cristã de acordo com o que já alcançou. Um passo de cada vez e sempre. Paulo estabeleceu este alvo para os colossenses: “Esforço-me para que eles sejam fortalecidos em seu coração, estejam unidos em amor e alcancem toda a riqueza do pleno entendimento, a fim de conhecerem plenamente o mistério de Deus, a saber, Cristo” (Cl 2.2).

A Bíblia fala sempre em andar (não correr) com Deus. Então, não tenha pressa. Porém, não pare. Ande com Ele a cada dia.

Quem deseja ter perfeita saúde espiritual, recomenda-se andar com Deus.

Com certeza!

Leitura: João 10.1-10

“…Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente” (Jo 10.10).

Dúvidas sobre a vida espiritual é algo que todo cristão tem, mais cedo ou mais tarde, principalmente na área de confiança. Você quer saber como eliminar aquela desconfiança, aquela incerteza espiritual, quanto a pertencer a Deus ou não?

Muitas pessoas tentando resolver esta questão envolveram-se em práticas religiosas que lhes trouxeram conseqüências desastrosas. Por essa razão, você precisa saber que pensamento positivo, mentalizações, seitas orientais ou religiões alternativas não resolvem a indefinição espiritual!

 

Elas só causam mais confusão! Quando Jesus diz: “Eu sou a porta; quem entra por mim será salvo” (Jo 10.9) exprime a verdade que elimina toda insegurança e incerteza. Esta boa nova do perdão de Deus produziu uma certeza espiritual no coração de quem a ouviu e aceitou, a ponto destas pessoas virarem o mundo de cabeça para baixo, nos primeiros séculos.

Quando você elimina, a principal incerteza quanto ao seu relacionamento com Deus, as incertezas em outras áreas da sua vida serão atingidas. Isso acontece porque Jesus Cristo é o único que tem autoridade e poder para garantir o que afirma.

Insegurança, medo e desconfiança não precisam existir em quem tem um relacionamento com Jesus. Não estou me referindo aqui a mais um produto religioso, mas sim ao poder de Deus, único poder capaz de lhe dar plena certeza da salvação e da posse da vida eterna.

Se você entendeu, e com sinceridade crê na afirmação de Jesus sobre a vida eterna, ore a Deus e diga: “Sim, Deus…o Senhor conhece a minha insegurança espiritual. Até a minha dificuldade em crer.

Ajude-me. Dê-me a certeza do Seu amor por mim. Confio que Jesus Cristo vive em meu coração e que Ele me liberte da dúvida e do temor. ”

A Palavra de Deus foi escrita para que tenhamos certeza da vida eterna.

Em contato

” …mas se inclina para contemplar o que acontece nos céus e na terra?” (SI 113.6).

O conceito que alguns tem sobre Deus, é que Ele criou o universo e tudo o que nele há. Porém, deu corda suficiente para fazê-lo funcionar, e o entregou à sua própria sorte. Por isto, Deus nada tem a ver com este mundo. O criador deste ensino poderia ser levado a pensar que estaria prestando bons serviços a Deus, atuando como advogado dele, isentando-o de quaisquer responsabilidades pelo que se passa em nosso planeta.

Todavia, Deus não precisa de advogado e nem está alheio ao que se passa por aqui. Aliás, Ele deseja ser identificado como aquele que está por detrás da História, movendo-a para um ponto determinado. O Salmo 113 faz um convite universal para que se louve ao Senhor. Ele está acima de todas as nações e Sua glória acima dos céus. Diz ainda que o Senhor se inclina para contemplar o que se passa no céu e na terra. Esta é uma forma bem humana de se referir a atitude de Deus em relação aos homens e toda a criação. Deus é espírito (Jo 4.24). Não tem corpo. Não tem como se inclinar. O objetivo do Salmo é mostrar a presença de Deus em toda parte. Nada escapa de Seu controle e conhecimento.

Diz ainda que Deus atua junto ao necessitado e ergue do lixo o pobre, mudando completamente a vida deles, transformando-o em príncipes (113.7,8). Ele está interessado em nossas vidas. O testemunho de pessoas relatando como Deus as alcançou e transformou suas vidas, não tem fim. De fato, Deus age no meio do povo, se interessa por nossas causas, interfere na história de nossas vidas e coloca-nos em posição privilegiada. Hoje, Deus pode fazer algo novo em sua vida também.

Deus nunca perdeu o interesse por nós.

Roupa Sem Fim

“Pois é necessário que aquilo…que é mortal, se revista de imortali-dade” (ICo 15.52).

Há muitos ditados populares e cada um é usado em situações próprias. Quando alguém quer se referir a transitoriedade da vida, costuma dizer: “Nu entramos neste mundo e nu sairemos dele!” Você acha que este ditado é uma verdade absoluta? Não, não é! Nu entramos neste mundo, porém ai de quem sair dele sem estar vestido, isto é, revestido da incorruptibilidade, que é a capacidade de não deteriorar, não degenerar! É imprescindível que saiamos deste mundo revestidos da imortalidade.

A Palavra de Deus declara que “é necessário que aquilo que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e aquilo que é mortal se revista da imortalidade” (I Co 15.53). Esta transformação é um fato estabelecido por Deus. Quem crê em Jesus e passa pela morte física, não sai nu deste mundo. A dor, o sofrimento e a ausência de esperança estão destinadas a quem rejeita, e passa pela morte da mesma maneira que entrou neste mundo. Deus confirma isto através da seguinte declaração de Paulo dizendo: “Pois enquanto estamos nesta casa(corpo), gememos e nos angustiamos, porque não queremos ser despidos, mas revestidos da nossa habitação celestial…porque estando vestidos, não seremos encontrados nus” (2 Co 5.4,3)

Nu você entrou neste mundo, porém, pode sair dele revestido da capacidade de não se extinguir, de posse de uma vida sem fim, vitorioso sobre a morte. Esse é o plano de Deus. Vestido com a roupa que o sangue de Jesus Cristo cobre, todo pecador arrependido, estando neste mundo ou saindo dele, a esperança garantida por Deus é esta: “A morte foi destruída pela vitória. ‘Onde está ó morte a sua vitória? Onde está, ó morte o seu aguilhão?'” (ICo 15.54-55)

O melhor que posso levar desta vida é a imortalidade.

Sete perigos

“Há seis coisas que o Senhor odeia, sete que ele detesta” (Pv 16).

Certamente você já ouviu falar do amor de Deus. A Bíblia afirma a que Deus é amor (l Jo 4.16). Porém, Deus, também, odeia! Deus detesta!
Não estamos muito acostumados com estas idéias. Na verdade, Deus agiu de diversas formas, para demonstrar Seu caráter. Diversas vezes Ele usou de destruição, morte, pestes, doenças e interrupção de suas bênçãos. Ele é justo e santo.

As coisas que Deus odeia são as várias faces do pecado que habita em nós e coloca-nos em rota de colisão com nosso próximo. Veja a lista:

  • “Olhos altivos”. Referem-se ao orgulho que nos leva a desprezar as pessoas a nossa volta. Não há sentimento mais vil do que o desprezo; fingir que o outro não existe.
  • “Língua mentirosa”. É a mesma língua de Satanás. A mentira não pode coexistir com a verdade.
  • “Mãos que derramam sangue inocente”. Não pode haver algo mais terrível do que fazer os inocentes pagarem pelos culpados.
  • “Coração que traça planos perversos”. Esta é a forma de maquinar o mal. Toda vingança passa por este processo.
  • “Pés que se apressam para fazer o mal”. O amor pela encrenca, o prazer do conflito não se coaduna com a mensagem da Paz.
  • “Testemunha falsa que espalha mentiras”. A falta com a verdade dissemina a maldade e sempre prejudica alguém.

“Aquele que provoca discórdia entre os irmãos”. Este item é colocado à parte, em destaque. Se os irmãos devem viver em união, pois somos um num só corpo, um só Espírito, um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, e se cada um recebeu a graça de Deus (Ef 4.4-7) como pode alguém ter a coragem de provocar a discórdia nesta unidade?

Deus odeia tudo isto. Nós, também, deveríamos odiar e deixar estas práticas. Caso contrário, estamos na contra mão do sentimento de Deus.

Deus age em nosso favor. Não vamos agir contra Ele.

Meu Caminho

“Meu filho, dê-me o seu coração; mantenha os seus olhos em meus caminhos” (Pv 23.26).

O nosso país já passou por vários planos econômicos. Em todos eles a maioria das pessoas se precavia para a possibilidade de fracasso. Embora o atual plano tenha criado uma certa estabilidade, muita gente acha que a possibilidade de fracasso não pode ser descartada. Por essa razão tem gente que está permanentemente com “as barbas de molho”. Certamente você também tem uma opinião, porque provavelmente tem planos para a sua vida! Mas, quantas vezes você precisou rever, ajustar ou até mudar esses planos?

Deus nos apresenta um plano de vida infalível. Este plano foi criado por Ele mesmo. Além disso, todos os que o aceitam, são supervisionados por Deus, pessoalmente, para que a pessoa obtenha o melhor. O plano de Deus tem bases seguras e diretrizes firmes para promover sua paz e estabelecer a esperança e a confiança que sua vida precisa. Mostrando a garantia do seu plano Deus declara: “Ouça-me agora, meu filhos: como são felizes os que guardam os meus caminhos! Pois todo aquele que me encontra a vida e recebe o favor do Senhor” (Pv 8.32,35)

Deus chama o seu plano de “Meu Caminho”! E para andar nele, certamente você terá que abrir mão de seus próprios planos de vida. Mas, segundo o que Deus declarou, você só terá a vida, Seu favor, se estiver no Caminho. A porta, é o Seu filho Jesus Cristo. Se você quer viver no “Caminho de Deus”, precisará conhecer Jesus Cristo intimamente! Com Ele, a possibilidade de fracasso é zero. O plano da salvação é garantido por Deus.

Confiar em Jesus é abrir mão dos próprios planos.